Quais são as dores mais comuns?

Dores de cabeça, dores lombares, nas costas e nas articulações são dores comuns e podem surgir independentemente do género e da faixa etária.

As dores de cabeça são das dores mais habituais e afetam homens e mulheres de diferentes idades. No entanto, o género feminino e as pessoas em idade ativa tendem a sofrer mais deste tipo de dor. O ritmo de vida acelerado, o stress profissional e até mesmo familiar e as preocupações diárias são fatores que podem influenciar a presença das dores de cabeça.

Já as dores nas costas e as músculo-esqueléticas podem relacionar-se com posturas inadequadas, muitas delas prolongadas no tempo, e ser ainda agravadas por estilos de vida mais acelerados e frenéticos.

No leque das dores músculo-esqueléticas, as dores lombares são as mais recorrentes. A sua origem pode estar nas articulações da coluna, na musculatura profunda da região lombar ou nos discos intervertebrais.

Porém, a dor pode fazer-se sentir também noutros pontos fulcrais do corpo, como nas articulações, que oferecem mobilidade ao esqueleto.

Desconforto, incómodo e até mesmo sensação de queimadura ou de rigidez são descrições comuns perante a presença de dor nas articulações. A sua causa pode estar associada a um traumatismo ou a patologias como a osteoartrose ou a artrite reumatóide.

Para qualquer tipo de dor é importante reconhecer os seus sintomas, perceber com que regularidade ocorrem e identificar, tanto quanto possível, quais podem ser as suas causas e origem.

Uma parte do tratamento passa por ter uma atitude positiva, e de preferência com doses de boa disposição, pela adoção de estilos de vida mais saudáveis, os quais podem passar pela prática de atividade física adequada, nem que seja por uma caminhada diária de meia hora, e incluir na agenda atividades de lazer, algumas das quais privilegiem o contacto com a natureza. Essencial é também procurar manter uma alimentação saudável, diversificada e equilibrada.

Contudo, mediante a persistência dos sintomas, e eventual histórico familiar, é recomendável o aconselhamento médico especializado.