Dor e escalas de dor

Em algum momento da nossa vida, todos nós fomos incomodados pela dor.

Mas o que é a dor? É um mecanismo de defesa do nosso corpo e que, geralmente, requer cuidados de saúde. Ainda que nos incomode, a dor é muitas vezes o alerta que precisamos para descobrirmos problemas maiores de saúde. Por isso, não devemos ignorá-la.

Enquanto sintoma de doença ou lesão, corresponde a uma dor aguda, mas se for recorrente trata-se de uma dor crónica. Neste caso, a dor pode ter um impacto muito negativo na qualidade de vida do doente. Em ambas as situações, é fundamental que se mantenha o devido acompanhamento médico no sentido de se adotar as melhores técnicas para o combate ou controlo da dor.

De acordo com o aconselhamento e prescrição médica, deve ser adotada a terapêutica mais adequada ao tipo de dor. A avaliação da dor deve ser feita de forma contínua e regular, de modo a que a terapêutica se ajuste ao tipo e intensidade da dor.

A dor deve ser avaliada e registada por profissionais de saúde com recurso a escalas de dor. Esta deve ser sempre referida pelo próprio doente e é apenas referente ao momento em que foi registada, uma vez que a sua intensidade pode alterar-se. As escalas de dor só podem ser aplicadas em situações em que o doente se mantém consciente e colaborante com o profissional de saúde. Consideram-se as seguintes escalas de dor:

Escala de Faces – Classificação da intensidade da dor com recurso a um conjunto de cinco faces com diferentes expressões, em que a primeira expressão é de felicidade e corresponde a “Sem Dor” e a última de máxima tristeza equivale a “Dor Máxima”.

Escala Visual Analógica – Corresponde a uma linha horizontal ou vertical de 10 centímetros, em que doente assinala com uma cruz o nível da sua intensidade de dor considerando uma extremidade da linha “Sem Dor” e a outra “Dor Máxima”.

Escala Numérica – Uma régua numerada de 0 a 10, na horizontal ou vertical, na qual o doente deve classificar a intensidade da sua dor de acordo com a escala numérica apresentada, em que 0 corresponde a “Sem Dor” e 10 a “Dor Máxima”.

Escala Qualitativa – O doente classifica qualitativamente a intensidade da sua dor, com recurso a expressões como: “Sem Dor”, “Dor Ligeira”, “Dor Intensa” ou “Dor Máxima”.